Buscar
  • Patrícia Schuindt

Medo: reflexões e ações para vencê-lo.

Alguns de nossos medos se tornam muito maiores do que poderiam ou deveriam ser.

Qual o medo que você precisa vencer atualmente?

Já presenciei muitos casos de pessoas avançando e vencendo seus medos. É um processo desafiador e ao mesmo emocionante - bonito de se ver. Também me recordo de cenas em minha vida, em que percebi que estava deixando de fazer algo, por medo. Mas quando consegui lidar com eles, foi libertador.


O medo acaba sendo "uma tortura mental fantasiosa" (palavras de uma pessoa que relatou sua experiência com relação a um medo que tinha e que percebeu que era exagerado).

O medo pode ser uma tortura.

Essa mesma pessoa deu voz a muitos relatos de superação quando disse: "quando paramos para encarar nossos medos e pensamos de forma mais analítica, ponderada, bem como consideramos a nossa capacidade para vencer, o medo reduz ou 'vai embora'."

É muito importante vencer o nosso medo.

Porque se ele nos dominar, corremos o risco de não realizar o que sonhamos e não fazer o que precisamos para que ocorra o crescimento e amadurecimento.


Afinal, medo é uma emoção de baixa potência, o que quer dizer que ele nos afasta do objeto causador da emoção. Então, se eu tenho medo de algo, a tendência é me afastar daquilo - fugir, evitar, ou ficar paralisado, sem ação. É uma proteção. Nos ajuda a evitar perigos, riscos desnecessários e nos defender em determinadas situações, mas em muitos momentos, se o medo não for analisado, questionado e superado, pode nos afastar de nossos objetivos (que com ações coordenadas poderiam ser alcançados) e daquilo que é importante em nossa vida.

Um exemplo: “quero crescer em minha carreira. Para isso, preciso assumir novos desafios em meu trabalho. Tenho a oportunidade assumir a liderança de um projeto. Mas, tenho medo. Deixo meu medo me dominar e digo não. É melhor evitar o erro. Evitar os riscos é mais seguro.”

Um outro exemplo: “quero fazer boas falas em reuniões, ou em eventos. Mas, quando tenho a oportunidade, fico com medo e 'passo a vez'. Me calo. O medo é maior do que a coragem de me expressar.”

Logo, você evita essa situação. Sendo que, para evoluir, o que precisa ser feito é justamente o contrário - falar / fazer. Porque desta forma, você treina e fica mais forte nas competências.


Em resumo, é um pouco disso:

Tem uma situação desafiadora – eu tenho medo – 2 reações possíveis:

1) Mesmo com medo, me preparo, desenvolvo habilidades e treino para enfrentar corajosamente. Vou para a ação com estratégia e foco.

2) Fujo da situação. Evito o risco. Afinal, tenho medo. E se der tudo errado? E se eu fracassar?

Qual tem sido a sua reação frequentemente?

Se você tem medo de algo, precisa refletir sobre as variáveis de forma realista e ir para ação com ousadia e coragem, pois há um grande perigo de você evitar situações desafiadoras, mas que são justamente situações importantes para seu crescimento e amadurecimento.

Mas ao mesmo tempo, considere como um processo:

  • Ganhe consciência da realidade e de sua capacidade para enfrentá-la.

  • Prepare-se com todos os recursos que tem.

  • Foque em aprender: pratique, treine e se exponha àquilo que te dá medo, de forma gradual e crescente.

Para isso, deixo aqui algumas perguntas específicas para começar um processo de vencer seus medos atuais. Pense no medo a que se referiu lá no começo - seu maior medo:

  • Quais as causas desse medo?

  • O que acontecerá se você vencer esse medo? O que acontecerá se ele te dominar?

  • Que proporções ele tem hoje? Que proporções deveria ter?

  • Como você pode se preparar para enfrentar essa situação que te dá medo: que recursos tem? Quais são estratégias possíveis de enfrentamento? Tem alguém que possa te ajudar?

  • Conhece alguém que já superou um medo assim? O que pode aprender com essa pessoa?

Conectar-se com o presente, analisar a realidade e fatos e o que pode efetivamente ser feito e controlado, é um exercício importante para colocar a atenção no lugar certo. Faça isso!

E pra finalizar, se você não tem conseguido avançar sozinho nessa questão, talvez seja exatamente o momento de procurar ajuda de um profissional. O caminho poderá ser facilitado e o processo será fortalecido!


Texto escrito por Patrícia Schuindt, que é Psicóloga e Professional Certified Coach (PCC), credenciada pela ICF (International Coach Federation), e atua em processos de Coaching de Líderes e desenvolvimento de competências. Para falar com a Patrícia: pschuindt@r122.com.br

54 visualizações
  • Facebook R122
  • YouTube R122
  • Instagram R122
  • LinkedIn R122

Copyright R122 / R122 Coaching ©2020. 

All rights reserved. Todos os direitos reservados.

São Paulo | Alphaville | Guarulhos | Ribeirão Preto | Araraquara

E-mail: contato@r122.com.br