Copyright R122/R122 Coaching ©2019.

All rights reserved. Todos os direitos reservados.

São Paulo | Alphaville | Guarulhos | Ribeirão Preto | Araraquara

E-mail: contato@r122.com.br

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

O que preciso fazer para ser um Coach? Por Patrícia Schuindt

24 Jun 2015

O Coaching tem crescido no Brasil e, naturalmente, muitas pessoas têm se interessado por seguir a atuação como Coach. Então, decidi escrever algumas (das muitas possíveis) principais dicas relacionadas ao assunto, considerando a minha experiência e as sugestões das minhas parceiras de trabalho na R122. Como qualquer profissão, existem diferentes caminhos, mas tentei incluir o que percebo serem as principais dúvidas. Se tiver alguma pergunta, envie uma mensagem!

 

 

 

1) Faça um curso de formação em Coaching: isso é fundamental para atuar como Coach. Aí começa um desafio, já que existem tantas escolas e opções: qual escolher? Procure cursos que te deem realmente uma boa base para começar a trabalhar como Coach. Sugiro, então, que você avalie:

 

 a) Quantidade de horas do curso e se a escola tem órgãos reguladores: Por exemplo, minha primeira formação teve 60 horas de curso e a segunda formação, 128 horas, em cursos certificados junto à*ICF (International Coach Federation). Mas o que isso quer dizer? Que o curso daquela escola independente passou por um processo de validação de padrões de qualidade do treinamento em Coaching, pautado em um rigoroso Código de Ética e baseado nas competências que são demandadas na atuação como Coach (informações do site www.coachfederation.org). Para ter uma ideia melhor de comparação, você pode ler sobre os cursos com selo ACTP, ACSTH e CCE no site (www.icfbrasil.org/formacao). Conversando com alguns parceiros da área, a sugestão é que, para começar a atuar, você faça um curso pelo menos do nível ACSTH;

 

b) Principais assuntos e a metodologia que o curso oferecerá: Procure entender quais serão os principais temas e fundamentos abordados e o que você vai levar do curso como bagagem para sua atuação;

 

c) Quantas pessoas participarão da sua turma? Por exemplo, os dois cursos que fiz, tinham entre 10 e 20 pessoas, o que possibilitou que eu tivesse um participação de forma ativa, participativa e prática;

 

d) O que está incluso no pacote do curso? Além das aulas com conteúdo, você terá a oportunidade de praticar de forma assistida? Isso é muito importante, pois apesar de sair totalmente motivado das aulas, ter um apoio para questões que surgem no caminho e ouvir situações de outros alunos, será muito bom. O que achei bacana das duas formações é que entre as aulas pude praticar, refletir, estudar e nas aulas ocorreram exercícios práticos supervisionados (uma das formações foi totalmente online, 4 horas por semana por uns 6 meses e a outra foram 3 dias presenciais e mais algumas semanas de aulas online com duração de 1h30 cada, totalizando uns 5 meses de curso);

 

 2) Pratique e tenha mestres: ainda durante a primeira formação, comecei a realizar meus primeiros processos de Coaching pró-bono (sem cobrar nada), para que eu pudesse realmente aplicar o aprendizado. Sou muito grata às pessoas que toparam a experiência, que fiz com muita dedicação. Inicialmente, tive em torno de cinco processos com pessoas diferentes, até realmente cobrar por um processo. Cada processo é muito diferente do outro e ganhar experiência é muito importante. Essa é uma dica: pratique com pessoas que saibam de seu momento e vá desenvolvendo até se sentir seguro para se lançar como Coach profissional. E sempre tenha em mente a melhoria contínua, por meio de supervisão e mentoria com pessoas mais experientes, além de fazer novos cursos de formação e aperfeiçoamento. Essa proximidade com pessoas há mais tempo na caminhada, ajudou acelerar o meu processo de desenvolvimento e qualificar minha atuação. É importante que você busque se consolidar como Coach e conquistar credenciamento, por exemplo, na ICF. Porque “Um coach credenciado pela ICF cumpriu formação e requisitos de experiência rígidos e demonstrou um compromisso forte para com a excelência em coaching. Os coaches credenciados receberam treinamento específico em coaching, comprovaram um número pré-determinado de horas de experiência e receberam mentoria de um coach qualificado” (retirado do site da organização). Isso dá credibilidade e um sentido de “estar no caminho certo”.

 

3) Faça uma avaliação “meu perfil” x “o que é ser Coach”.

 Avalie suas intenções, motivações e habilidades: elas são coerentes com o propósito da atuação de um Coach? Muitas pessoas têm se  interessado por ser Coaches, mas algumas vezes percebo que não vão a fundo para entender o que é de fato “ser coach” e nem para avaliar a si mesmas. Pra mim, para ser Coach é preciso ter um real interesse pelas pessoas. Temos um grande impacto sobre a vida das pessoas e precisamos cuidar disso. Também acho que o grande motivador precisa estar relacionado a um verdadeiro interesse pelos objetivos do outro, por ver a pessoa avançando no que quer, transformando sua mentalidade, aprendendo sobre si, descobrindo seus pontos fortes e desenvolvendo os fracos, enxergando as situações sob diferentes perspectivas, e oferecendo um espaço seguro e de confiança. É preciso ter interesse pelos pensamentos, comportamentos do outro e o que ele quer sobre isso.

 

 Pedi a opinião de minhas parceiras de trabalho e gostaria de compartilhar na íntegra, seus relatos tão bonitos!

 

 “Eu acredito que para ser coach, você precisa gostar de gente, se interessar genuinamente por pessoas. Como Coach você precisa ter curiosidade pelo “Quem” da pessoa que está diante de você para entender o seu modelo mental e poder facilitar o processo. Precisa se energizar e se motivar com pessoas e ter o propósito de criar um impacto positivo. Ser Coach pra mim é mais do que uma profissão, é uma missão e faço esse trabalho com muita motivação e fundamentado na visão de que se eu conseguir fazer a diferença na vida de alguém estarei cumprindo o meu objetivo”. Aline Freitas

 

 “Poucas coisas me motivam mais do que ver que fui importante no sucesso de outra pessoa e saber que posso ser um meio para resgatar a identidade das pessoas. A complexidade do ser humano me instiga. Fico muito curiosa pra saber o que pode vir da outra pessoa. Perceber padrões de comportamento e o que auxilia as pessoas, do ponto de vista científico, também é fascinante. Quanto a habilidades, acho que elas se desenvolvem… Claro que uma pessoa que já vem com capacidade de escutar, estar presente, e por aí vai, é bom, mas acho que há uma coisa importante que a pessoa precisa desenvolver: a capacidade de se preocupar menos com sua performance e o que pensam dela, para realmente focar mais no outro…” Juliana de Lacerda Camargo

 

 “O Coaching me fascina porque através desse trabalho posso conhecer mais do ser humano. Cada etapa do processo é riquíssima, mas quero destacar uma das etapas mais impactantes que é o momento da descoberta, onde a pessoa se percebe, descobre suas forças e grandezas, e também descobre as crenças que a limitam de alcançar seus objetivos. É a fase do resgatar a identidade, de esclarecer o que faz sentido, de alinhar as coisas com um propósito. É fantástico! Como Coach nós aprendemos muito participando dessas descobertas de outras pessoas. Além disso, ver a pessoa avançar, sair da sua zona de conforto, fazer coisas que não conseguia antes, ou que não acreditava que conseguisse, mudando sua perspectiva das situações e acreditando que pode ser quem nasceu pra ser, faz com que este trabalho se torne único e impactante. E de todas as habilidades de um Coach eu destaco duas habilidades poderosas no processo: a escuta ativa – o escutar além das palavras, ou seja, o que realmente está por trás de tudo que está sendo falado. É como descobrir os segredos mais preciosos dessa pessoa que tanto podem estar impedindo seu avanço como podem ser coisas boas não percebidas. E o despertar de uma nova consciência, que é o momento de ver as coisas de uma forma diferente, com novas perspectivas, como o mudar de canto de uma sala e perceber que a luz da janela é bem mais forte por este outro ângulo”. É o início da mudança, da percepção do novo”. Graziela Motta Teixeira

 

 Obrigada Aline, Graziela e Juliana pela contribuição de vocês nas informações aqui do texto!

 

* A ICF – International Coach Federation é a maior associação global de coaches, com 30 mil membros em 140 países. Fundada em 1995, sem fins lucrativos, a sua missão é contribuir para o avanço da arte, ciência e prática do coaching profissional. A ICF é o maior recurso mundial de informações e pesquisas sobre coaching para coaches e para organizações ou pessoas que procuram um coach (site: www.icfbrasil.org)

Please reload

Apresentando a R122

May 1, 2014

1/1
Please reload

Posts recentes

November 9, 2019

Please reload

Busca por Tags